Canal

Desembargador aceita pedido de habeas corpus e manda soltar cantor Belo

Cantor foi preso pela Delegacia de Combate às Drogas (DCOD) e levado para a Polinter, na Zona Norte, na quarta (17), após realização de um show no sábado (13), no Complexo da Maré.

Por Canal da Notícia em 18/02/2021 às 08:26:05

O desembargador Milton Fernandes de Souza aceitou o pedido de habeas corpus da defesa do cantor Belo e mandou expedir um alvar√° de soltura no início da madrugada desta quinta-feira (18). A decis√£o saiu por volta da 1h20.

O cantor Marcelo Pires Vieira, o Belo, foi preso pela Delegacia de Combate às Drogas (DCOD), da Polícia Civil do Rio de Janeiro, e foi levado para a Polinter, na Zona Norte, na quarta (17).

"Até agora eu n√£o entendi o que eu fiz para estar passando por essa situa√ß√£o. Quero saber qual o crime que eu cometi. Subi no palco e cantei", afirmou, ao sair da Cidade da Polícia, onde prestou depoimento.

"Minha empresa recebeu o dinheiro. CNPJ com CNPJ", acrescentou, após ser questionado de quem recebeu o pagamento pelo show. "Se eu n√£o posso cantar para o público, a minha vida acabou", afirmou ainda o cantor ao deixar o local.

O artista, dois produtores e um traficante (veja a lista abaixo) s√£o investigados pela realiza√ß√£o de um show no s√°bado (13), no Complexo da Maré, Zona Norte do Rio. Segundo a polícia, eles violaram um decreto municipal que proibiu aglomera√ß√Ķes no carnaval e contribuíram com a dissemina√ß√£o do coronavírus, colocando em risco a vida de centenas de pessoas.

Em nota, Belo e sua família afirmaram estar surpresos com a pris√£o preventiva do cantor. No texto, ele pede desculpas pelo show, mas questiona a decis√£o da Justi√ßa. "Ciente da gravidade da crise sanit√°ria, Belo pede desculpas por ter se apresentado em uma aglomera√ß√£o", diz a nota.

Ele argumenta que o show foi legalmente contratado pela produtora Série Gold e questiona o fato de eventos culturais em outras regi√Ķes da cidade n√£o terem sido alvo de investiga√ß√£o. Na nota, ele também questiona o fato de a pris√£o ter ocorrido após parecer contr√°rio do Ministério Público (MP).

Como o show foi realizado em uma escola estadual do Parque Uni√£o e n√£o teve autoriza√ß√£o das autoridades de Saúde, a polícia também investiga a invas√£o ao colégio. Segundo investigadores, as salas de aula do Ciep 326 – Professor César Pernetta – foram utilizadas como camarotes.

Segundo a polícia, Belo e os demais investigados v√£o responder por quatro crimes: infra√ß√£o de medida sanit√°ria, crime de epidemia, invas√£o de prédio público e associa√ß√£o criminosa.

'É o que eu mere√ßo'

A opera√ß√£o se chama "É o que eu mere√ßo", em refer√™ncia a uma das músicas do cantor, que chegou à DCOD por volta das 15h30 desta quarta.

A mulher de Belo, Gracyanne Barbosa, visitou o marido na Cidade da Polícia. A modelo falou sobre o caso em um texto publicado no Instagram. Ela argumentou que o marido "chega pela porta de tr√°s nos locais de shows, vai direto ao camarim e entra no palco".

Gracyanne também afirmou que o cantor cumpre normas e testa a equipe contra a Covid-19. "Ele se preocupa com aglomera√ß√Ķes e sempre reivindica quando se burla alguma regra deixando ele ou seus f√£s em risco", escreveu.

Quatro mandados de pris√£o

Após ter aberto inquérito para apurar as circunst√Ęncias do show de Belo na Maré, a DCOD cumpriu nesta quarta quatro mandados de pris√£o preventiva e cinco de busca e apreens√£o.

Uma das buscas foi na sede da produtora Série Gold, organizadora do evento, onde foram apreendidos equipamentos, a aparelhagem de som, documentos e veículos. Na casa de Belo, foram apreendidos dinheiro e duas pistolas. Na delegacia, foi constatado que as armas estavam registradas no nome do cantor e a polícia considerou a posse legal.

Em toda opera√ß√£o, foram apreendidos R$ 40 mil e 3,5 mil euros - o equivalente a R$ 22,8 mil. Também foram recolhidos computadores e outros pertences na casa de Belo, na Barra da Tijuca.

Os quatro mandados de pris√£o preventiva foram contra:

  • Marcelo Pires Vieira, o Belo, cantor – preso em Angra dos Reis, na Costa Verde;
  • Célio Caetano, sócio da produtora – preso em Macaé;
  • Henriques Marques, o Rick, também sócio da produtora – preso no Rio;
  • e Jorge Luiz Moura Barbosa, o Alvarenga, chefe do tr√°fico no Parque Uni√£o – n√£o havia sido detido até a última atualiza√ß√£o desta reportagem.

A festa

As imagens do show de Belo circularam pelas redes sociais. F√£s postaram vídeos em cima do palco na hora da apresenta√ß√£o na escola na Maré, onde era possível ver uma grande aglomera√ß√£o. Imagens do Globocop também mostraram a quadra lotada diante de um palco com luzes e amplificadores de som

Fonte: G1

Comunicar erro
CANAL 2

Coment√°rios

CANAL 3 ANUNCIE